O que é Descupinização?

Reprodução dos cupins
Caso já tenha visto os operários cupins vivos ou olhado fotos deles no ninho, deve ter ficado com a impressão de que são quase larvas. Eles não têm exoesqueletos rígidos como vários outros insetos. Em vez disso, parecem macios e leitosos. Parecem com larvas porque, sob vários aspectos, eles são larvas. Os únicos cupins totalmente maduros na colônia inteira são o rei e a rainha. Mesmo os outros reprodutores são neotônicos, sendo sexualmente maduros mas com características de larva.

Esse estado perpétuo de larva dá muita flexibilidade aos cupins. Basicamente, todos começam como ovos, e todos os ovos são capazes de se desenvolver em membros de qualquer casta. Os ovos dão origem a larvas e, por meio de uma série de mudas, as larvas se transformam em operários. Os operários podem passar por uma muda de dois estágios e se tornar soldados. Os cupins mais velhos podem até passar por mudas regressivas e voltar a um estágio anterior.

Quando chega a hora de uma colônia formar enxames, alguns operários se transformam em adultos com asas chamados de alados. Os alados se reúnem na entrada da colônia e se preparam para fazer seu único vôo, conhecido como vôo nupcial. Seus corpos endurecem e ficam negros com a exposição ao ar, fazendo que comecem a lembrar formigas voadoras.

Os cupins costumam formar enxames na primavera, quando o ar está mais úmido e calmo, geralmente após uma chuva. Várias espécies fazem isso simultaneamente, mesmo se suas colônias são muito distantes. Os cientistas não têm certeza sobre como isso acontece, mas suspeitam que ajuda a melhorar a diversidade genética ao permitir que cupins de diferentes colônias acasalem. E isso é muito importante porque a maioria dos alados não vive o bastante para ter filhos. Em vez disso, tornam-se comida de pássaros, sapos e outros animais.
Após um alado macho e uma fêmea formarem um casal, pousam e quebram suas asas. Agora, são chamados de dealados. Então, eles procuram abrigo, normalmente um pequeno buraco ou depressão próximo do solo e de madeira, e selam o ninho com saliva, solo e seus próprios dejetos. Então ocorre a cópula, e a nova rainha põe os ovos.

O rei e a rainha cuidam da primeira geração da nova colônia sozinhos até que tenham criado operários o bastante para assumir essa tarefa. Os operários expandem o ninho, e o abdôme da rainha aumenta para que ela possa pôr mais ovos. Leva de dois a quatro anos para que a colônia fique pronta, e então o ciclo começa novamente com um novo grupo de alados indo embora para formar novas colônias.

Cupins e folhas
Como os cupins perdem suas asas após o vôo nupcial, podemos chamá-los de decíduos, assim como as folhas que caem.

Além de colocar ovos, o rei e a rainha produzem feromônios que ajudam a regular a vida na colônia. Esses feromônios determinam quantas lavas se tornarão operários, soldados e alados. Caso o rei ou a rainha morra, esses feromônios desaparecem, fazendo que um dos reprodutores secundários ou terciários se torne o novo reprodutor primário, algumas vezes após matar a concorrência. As rainhas podem viver até 25 anos, ao passo que a maioria dos operários vive entre dois e cinco anos.

As colônias de cupins podem sobreviver por muito tempo, e em algumas espécies as rainhas põem milhares de ovos por dia. Essas são as razões pelas quais os ninhos de cupins podem ser enormes. A seguir, vamos dar uma olhada no local em que os cupins vivem e como constroem suas casas.

Detecção de cupins

Tratamentos e bons métodos de construção não conseguem impedir uma infestação por completo. Os proprietários de imóveis em áreas com grande incidência de cupins têm de ficar atentos em busca de sinais desses insetos. Normalmente, o primeiro sinal de infestação é o surgimento de um enxame. Se encontrar alados dentro de sua casa, eles provavelmente entraram pelas paredes, o que faz disso um sinal certo de que há cupins em sua casa. Caso o enxame esteja do lado de fora, especialmente se estiver vindo de um pedaço de tronco ou árvore, a infestação, contudo, pode não ter chegado a sua casa ainda. Os alados podem ser bem parecidos com formigas.

Veja como diferenciá-los:
• formigas têm cintura fina. Cupins, não;
• as asas anteriores das formigas são bem mais longas do que as posteriores. As asas de cupins têm o mesmo tamanho e podem repousar sobre toda a extensão de seu corpo;
• as antenas das formigas são tortas. As antenas dos cupins não se dobram e parecem uma corrente de pérolas bem fina.

Aqui vão outros sinais comuns de infestação de cupins em casas ou edificios:
• Asas: os alados perdem suas asas logo após o enxame. Quando os alados estão dentro de casa, normalmente perdem as asas sobre peitoris de janelas ou perto de lâmpadas. Asas de cupim separadas são umsinal certo de infestação;
• Madeira em decomposição: os danos causados por cupins geralmente seguem a granulação da madeira e eles também revestem a madeira danificada com solo. Danos causados por outras fontes, como água ou fungos, não seguem esse padrão.

Sustentação de Peroba (comprometida)
• Tubos de abrigo: os cupins escavam tubos em blocos de construção, concreto, tijolos e outras superfícies para chegar até a madeira. Às vezes, se abrir os tubos, verá operários vivos lá dentro.

Quadro de Força (Infestação na Rede elétrica)
O estrago causado pelos cupins acontece de dentro para fora, e por isso pode ser difícil detectar uma infestação. Caso a madeira em sua casa soe oca quando você bate nela com um martelo, pode haver cupins lá dentro. Outra alternativa é usar uma chave de fenda ou furador de gelo para sondar qualquer lugar em que acredite haver cupins. Esse método revela se há madeira danificada e até se os próprios cupins estão no local.

CUPINS ARBÓREOS
O cupim arbóreo é da Família TERMITIDAE, sub-família NASUTITERMITINA e do Gênero NASUTITERMES sp. São insetos sociais que nidificam em postes, cercas, muros, árvores e atacam madeiras presas à alvenaria ou que mantenham contato direto com o solo. Nas edificações, podem construir túneis ou galerias em componentes como: telhados, paredes, colunas, etc., e alcançar madeiras situadas em pontos isolados do ninho. Além de deteriorar a madeira em uso, são encontrados atacando árvores, nas quais fazem ninhos externos e bem visíveis. São bem diferentes fisicamente dos cupins subterrâneos (Coptotermes), pois enquanto estes são de cor bem clara, os cupins arbóreos (Nasutitermes) são de tonalidade escura, quase preta, além de formarem trilhas e ninhos externos de fácil identificação.

CUPINS DE MADEIRA SECA
Um dos tipos é popularmente chamado de “cupim de madeira seca” (CRYTOPERMES BREVIS) por gostar de celulose com menos de 30% de umidade. Ele ataca desde a estrutura do telhado até os móveis – sendo que o papel não é seu prato predileto, mas apenas o antepasto ou sobremesa. Tendo em média de 400 a 500 indivíduos, a colônia se desenvolve dentro da peça atacada, comendo a madeira e abrindo galerias. Caso se trate de cupim de madeira seca ou broca ( inseto xilófago – comedor de madeira – da ordem Coleóptera, a mesma dos besouros, que nada tem a ver com cupins ), é possível fazer um tratamento localizado nas peças infestadas que ainda são passíveis de recuperação.

CUPINS SUBTERRÂNEOS
O cupim Subterrâneo (COPTOTERMES GESTROI) é a espécie mais danosa e está em fase de expansão no Brasil. Ele se instala, frequentemente, nas fundações das construções. Ali há quase tudo que eles gostam: umidade, calor, restos de madeira enterrada e proteção à luz. A partir dessa base inicial, os indivíduos da colônia se dispersam pela construção por meio de fendas, juntas de dilatação, conduítes de fiação elétrica, blocos vazados, construindo túneis com a própria saliva mascada com terra ou areia. Tudo que tiver rastros de destruição no caminho entre o cupim e o alimento será acabado. Eles perfuram fios, concreto, e tijolo até atingir a madeira, que pode estar num batente de porta, rodapé ou no fundo de um armário embutido. Uma colônia dessas, que sempre passa de 4.000 indivíduos, pode atacar vários pontos de uma casa a partir de um único ponto.

Tratar uma infestação de cupins requer um exterminador profissional.

Cupins e exterminadores
Se descobrir uma infestação de pulgas ou baratas em sua casa, normalmente é possível cuidar delas com produtos normais comprados em um mercado. O mesmo, contudo, não é verdade no caso dos cupins. Embora alguns dos produtos químicos que matam pulgas e baratas também matem cupins, aplicá-los no caso de uma infestação de cupins requer ferramentas especiais e treinamento.

Quando um exterminador vem a sua casa, ele primeiro vai verificar se os cupins são mesmo os culpados. Outros insetos, incluindo abelhas carpinteiras e algumas espécies de formigas, também podem causar estragos em casas de madeira. Algumas pessoas até mesmo confundem danos causados por água com os causados pelos cupins. Um exterminador utiliza ferramentas como longas sondas, sensores de calor, sensores de som, câmeras infravermelhas, martelos e brocas para procurar os danos causados por cupins.

Foco de cupins embaixo do assoalho
Quadro de rede elétrica(cupins Sub-Terraneo)
Cupins de Madeira Seca(Cliptotermes Brevis)
Estante de Livros (Cupins SubTerraneo)

Cupins podem devorar a madeira de um Prédio ou de casas mas costumam levar anos para fazer isso. Se o exterminador encontrar sinais conclusivos de cupins, pode utilizar um destes três tratamentos:
• iscas são madeira, papelão ou outros produtos com celulose embebidos em um pesticida. Os cupins comem as iscas Amoxil e levam as partículas de volta aos ninhos, envenenando o resto da colônia;
• os repelentes desencorajam os cupins de entrar em uma área específica, ajudando a evitar que os cupins colonizem um novo ponto em sua casa;
• já os cupincidas matam os cupins. Algumas vezes, os exterminadores têm de bombear centenas de litros de cupincida nos ninhos para tratar a infestação. Outra tática envolve a aplicação de um inseticida em toda volta da sua casa e em todos os possíveis pontos de entrada de cupins. Isso evita que eles entrem, e os que já estão lá dentro costumam morrer de desidratação.

Felizmente, leva anos para que os cupins consigam causar danos significativos a uma casa. Por isso, se descobrir uma infestação em sua propriedade, ainda terá tempo de obter opiniões de vários exterminadores.

Related Posts

Comments are closed.