Aracnídeos

Aranhas

As aranhas são animais artrópodes pertencentes à ordem Araneae da classe dos aracnídeos, que está dividida em duas subordens: a mais diversa e abundante Opisthothelae e a Mesothelae, constituída de aranhas asiáticas raramente avistadas.

Existem cerca de 40 000 espécies de aranhas, o que a torna a segunda maior ordem dos Aracnídeos, atrás da ordem Acari (ácaros). Essas 40 000 espécies são divididas em mais de 100 famílias, sendo que cerca de 30 delas são consideradas perigosas para o homem.

As aranhas pertencem ao filo artrópode e ao subfilo chelicerata. Sendo artrópodes têm corpos segmentados com membros articulados, cobertos com uma cutícula de quitina e proteínas e cabeças compostas por vários elementos que se fundem durante a fase embrionária.. Os seus corpos consistem em dois tagmata, conjunto de segmentos com as mesmas funções: um deles, chamado cefalotórax ou prossoma (nos insetos este segmento encontra-se separado em mais dois tagmata – cabeça e tórax), o outro chama-se opistossoma ou abdómen.

O corpo da aranha compõe-se de duas partes nitidamente separadas: o cefalotórax ou prossoma (com todos os apêndices – gancho venenoso, ou queliceras, pedipalpos ou maxilípedes, quatro pares de patas locomotoras e freqüentemente tecedoras) e o abdômen ou opistossoma (sem apêndices, porém com quase todos os orifícios do corpo – estigmas das traquéias, ostíolos pulmonares, orifício genital, ânus e fiandeiras para tecer a seda).

A maior parte das aranhas faz teias para capturar insetos. Perfuram as presas com seus ganchos, a fim de matá-las e liquefazer-lhes o conteúdo, para depois sugalas aspirando esse conteúdo.

ARANHAS BRASILEIRAS – O Brasil é rico em espécies de aranhas, algumas com grande potencial de lesão em relação às vitimas. Nos meios urbanos, as aranhas se desenvolvem em todas as partes. Os tipos existentes nas cidades, entretanto, raramente ultrapassam mais de 10 cm de diâmetro e seu veneno é pouco ofensivo. Entretanto, nas matas, sobretudo nas regiões mais secas do planalto central e nos matagais podem ser encontradas aranhas de grande envergadura, com mais de 30 cm. De diâmetro e cujo veneno é mortal em muitos casos.

As aranhas mais perigosas e encontradas com maior freqüência são as: aranhas armadeiras (as maiores e mais perigosas), as aranhas caranguejeiras (conhecida em outros países como tarântula e cujo nome científico e Lycosa Tarântula) e a pequena aranha marrom (do gênero Loxosceles).

A aranha armadeira é a mais perigosa aranha viva em nosso país, e pode ser encontrada em todos os locais, desde as praias até os cerrados e florestas, abrigando-se normalmente entre as vegetações rasteiras e os arbustos. De 10 picadas de armadeira, por exemplo, apenas 03 possuem cura.


A aranha caranguejeira possui mordedura violenta e ofensiva, que pode provocar a morte. Sua picada causa o tarantismo, que é uma espécie de distúrbio nervoso, que provoca espasmos e grandes contorções.


O veneno da aranha marrom causa alterações na pele e alterações sistêmicas, que podem levar até a morte e recebe o nome de “Loxoscelismo”. Essas aranhas não são agressivas, mais reagem quando se sentem ameaçadas, causando a picada. Tanto o macho como a fêmea são venenosos. A maior incidência de acidente ocorre na primavera e verão. Elas habitam em cascas de árvores, fenda de muros, paredes, forros, pilhas de tijolos, entulhos e dentro de roupas, sapatos e camas. Alimentam-se de pequenos insetos, têm atividade maior noturna e se reproduzem com facilidade. A fauna de aranhas existente no Brasil possui mais de 20 mil espécies catalogadas, a grande maioria existente nos demais países do mundo. A viúva-negra pode também ser encontrada em nosso território, sendo uma das mais perigosas também.

Prevenção

Manter limpos quintais, jardins, sótãos, garagens e depósitos, evitando acúmulo de folhas secas, lixo e demais materiais como entulho, telhas, tijolos, madeiras e lenha.

Ao manusear materiais de construção, usar luvas de raspa de couro e calçados, pois nestes materiais, as aranhas podem estar abrigadas.Rebocar paredes e muros para que não apresentem vãos e frestas.

Vedar soleiras de portas com rolos de areia.

Usar telas em ralos do chão, pias ou tanques.

Acondicionar o lixo em recipientes fechados para evitar baratas e outros insetos, que servem de alimento às aranhas.

Realizar roçagem de terrenos.

Manter berços e camas afastados das paredes.

Examinar calçados, roupas e toalhas antes de usá-los.

Observar a presença de aranhas em objetos e móveis que tenham sido guardados por períodos prolongados em ambientes escuros.

Escorpiões

O escorpião, também conhecido por lacrau ou alacrau, é um animal invertebrado artrópode (com patas formadas por vários segmentos) que pertence à ordem Scorpiones estando enquadrado na classe dos aracnídeos .

Scorpiones é a ordem de artrópodes arácnidos terrestres que reúne cerca de 2.000 espécies de escorpiões que apresentam comprimento de 10 a 12 cm, corpo alongado e quelíceras com três artículos. São animais geralmente discretos e noturnos, escondendo-se durante o dia sob troncos e cascas de árvores.

Os escorpiões só atacam o homem quando se sentem acuados e em circunstância de defesa.

Prevenção e Controle

Existem algumas medidas básicas de prevenção:

  • Sacudir e examinar calçados e roupas antes de usar;
  • Manter limpos os locais próximos a residências evitando acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção;
  • Usar telas vedantes em portas e janelas;
  • Usar ralos protetores;
  • Manter o habitat familiar livre de baratas, que são reconhecidas como um dos principais alimentos dos escorpiões nos centros urbanos.